Thursday, March 11, 2010

...esquecer e olhar para o que todo mundo olha é mais fácil.

Engraçado, existem coisas maravilhosas na nossa vida que simplesmente esquecemos, simplesmente deixamos lá no canto obscuro da memória.

Houve um momento hoje em que percebi que havia esquecido coisas bem importantes como o que eu planejo para mim aqui na cidade maravilhosa.

Esqueci bem no meio do processo de deslocamento que eu estou em primeiro lugar, EU. Não os meus problemas... EU.

Nada de estar presa numa roda de desesperos como acontece comumente em cidades em que "dar certo" significa "fazer sucesso" que significa na verdade fazer sucesso para mostrar aos outros.

Diacho de coisa estranha essa do reconhecimento material. Quem disse mesmo que ter um carro de luxo, uma vida de riquezas e confortos tira alguém da mediocridade? Quem de fato está dentro de nós dizendo "corra atrás porque senão você será postergado"?

Não há dinheiro que resolva falta de diálogo interior. Não há dinheiro, fama ou poder que faça uma pessoa ter coragem de ser feliz e ser de fato ela mesma especialmente se ela não quer ser algo além da sua superfície.

Como diria um professor de literatura meu "Isso é pura preguiça... pura preguiça de pensar em algo além do ordinário... porque ser é algo apavorante e haja coragem viu, haja coragem!"

Realmente tem que ter coragem de estar com um problema prático pra resolver e não se sentir culpado por não se deixar atingir de verdade pelo abacaxi a ser descascado.

Dificil entender mas... é o que tenho percebido. Eu sou eu mesma ou os meus problemas? O que é mais inteligente escolher? Hein?

Eu escolhi ser eu mesma, não sou nada preguiçosa... independente do tamanho dos meus problemas eu serei eu. É incrível que apesar de parecer difícil, não cansa e não faz mal algum a ninguém, especialmente a mim.

Sorrisos... muitos sorrisos... muitos olhares de fascinação... é o que me resta.